domingo, 12 de julho de 2009

Fator Mulher


Há alguns dias eu entrei no vestiário masculino do meu trabalho e reparei que meus colegas conversavam sobre mulher, comum. Sim, super comum numa indústria metalúrgica. Mas eles não comentavam sobre mulher-objeto-sexual. Mas sim sobre mulheres-homossexuais.

Na maioria das vezes eu presto atenção às meras conversas do dia-a-dia, pois sou observador, qualidade ou defeito entenda como quiser. Essa conversa especificamente eu resolvi prestar mais atenção. Não que eu tenha uma opinião formada a respeito, ou seja do tipo simpatizante com a causa, mas porque me interessei pelo polêmico tema.

Dentre os participantes da discussão estavam um evangélico, um senhor mais velho, um jovem e meus ouvidos.

Observei que eles analisavam o fato. ‘O que leva uma menina a gostar de outra menina?’ O preconceito era nítido nos olhares e reparei que todos estavam um tanto constrangidos. A primeira hipótese era a questão da simples preferência. ‘Mulher-macho’ aliás foi um termo muito utilizado. A segunda hipótese era o desgosto por homens, em que se encaixavam mulheres mal-tratadas, violentadas, molestadas e principalmente mal amadas. A terceira e última hipótese era a moda. A moda criada em torno das patricinhas principalmente, que intitulavam ‘interessante’ a relação com outras mulheres.

Ouvi atentamente as diversas opiniões, concordando mentalmente ou não e saí. Fui em direção ao relógio de ponto, porém minha cabeça continuava naquela discussão.

Então, analisei profundamente, sozinho.

Uma mulher que simplesmente gosta de outra mulher, um desejo real, ardente como fogo, sem explicação, não é uma escolha, uma decisão que foi tomada, não. É um fato, uma realidade existente, um sentimento sem controle algum. Não concordo em duas coisas: Acho errado que se crie um preconceito em cima desse tipo psicológico específico e, não necessariamente serão essas mulheres, mulheres-homens.

Acredito que existam mulheres que por decepções em relacionamentos anteriores com homens venham a buscar numa relação entre mulheres qualquer que seja o sentimento que lhes faltou. Compreendo essa situação, apesar de toda a complexidade.

A questão da moda é vulgar, eu diria até esquisita. Se encaixam aqui menininhas, em sua maioria curiosas, que levadas por opiniões se relacionam umas com as outras. O problema aqui é a sociedade, principalmente a alta. Uma mudança de hábitos, de conceitos, de criação, talvez amenizaria o problema.

Reparei que nas três situações reinam o preconceito. Deles, meu, de todos. Acredito que as coisas precisam ser reavaliadas. Temos um problema aqui, notável aliás. Pois se mulheres se sentem atraídas por outras, sem opção de escolha, não cabe a nós julgar, mas sim aceitar. Se outras percebem que uma relação com outra mulher lhes é muito mais saudável, culpa nossa, dos homens, que não sabem se portar. E se meninas se entregam a outras levadas por costumes da época, culpa da sociedade, que indiretamente dita às regras.

Então, acho que cabeças precisam ser abertas, ideias precisam ser renovadas e a compreensão precisa assumir o posto do julgamento.

7 comentários:

Pensamento (Im) Perfeitos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arthur Alter L. disse...

Guilherme,
Cai aqui no seu blog de paraquedas, depois que sai do Blog do Dand.
Enfim, adorei a postagem e sinceramente, vc foi acertado em seu posto de vista e fechou o post com uma frase que vale ouro>>a compreensão precisa assumir o posto do julgamento.<<
Abraço.
Arthur

Pedro disse...

Vc arraza! \o/

dand disse...

Olá Guilherme, prazer, Dand..hehehe.
Obrigado pelo comentario, fiquei sabendo agora do seu blog. Pedro me passou o link.

Quanto ao texto, realmente complexo, porque homossexual homem acho que é instinto. Mulher, tenho lá minhas dúvidas, insatisfação, incompreenção, e tambem instinto claro. Enfin, vá saber...

Quanto ao Pedro dançando, vc terá a oportunidade de ver... vou obrigar ele.. rsrsrs.

um grande abraço, vou segui-lo ok? Pode? Já to seguindo. haha.

dand disse...

Obs.. EU SEMPRE ESCREVO INCOMPREENSÃO com "ç"... que raivaa.

Regina Helena Portugal Moura disse...

Menino!

Eu não te conheço e estou encantada com seu modo de escrever!
Não pare!
Vejo que aqui parou em 2009 e faça o favor de postar outros.
Este texto é de muita sabedoria e eu com meus 65 aninhos, estou feliz por ver um jovem com tão grande capacidade na comunicação escrita.
Vou voltar!
Se quizer me conhecer, estou com este nome no orkut.Também tenho um blog.
PARABÉNS POR ESTE E OUTROS TEXTOS!

Larissa Boaventura disse...

Oiii, achei seu blog super interessante, estou te seguindo, me segui também :) beijossss